Professor Hélio Zylberstajn (FIPE) lembra que a FIPE vem defendendo há mais de 10 anos um caminho criativo e alternativo visando a adoção da capitalização no País, sem precisar criar uma "folga fiscal" que hoje Guedes defende que seja obtida pela economia de R$ 1,1 trilhão via aprovação da PEC.

Indo direto ao que é mais fundamental no artigo, para não gastar o tempo de nossos leitores com o que eles já sabem, a proposta da FIPE dispensa o desvio das contribuições atuais e propõe que sejam utilizados em seu lugar recursos do FGTS, que as pessoas seriam autorizadas a destinar a planos de previdência complementar. Tal opção seria oferecida apenas para os brasileiros nascidos a partir de 2005 - trabalhadores do segmento privado, servidores e militares -  o que eliminaria o custo da transição.

Ao mesmo tempo, prossegue Zylberstajn. medidas paramétricas iriam unificando as regras do pilar de repartição, permitindo assim ao País caminhar de fato para um sistema unificado. E aos poucos, à medida que o número de pessoas vinculadas à velha aposentadoria diminuísse,  as atuais alíquotas poderiam ser gradualmente reduzidas.

 



Não há noticias a serem exibidas.
Tel: 11 5044-4774/11 5531-2118 | suporte@suporteconsult.com.br